Foi unicamente a Igreja Católica Romana que salvou as verdades protestantes. Pode ser bom basear-se na Bíblia, mas não haveria Bíblia se os gnósticos tivessem provado que o Antigo Testamento foi escrito pelo diabo ou tivessem inundado o mundo com os [seus] evangelhos apócrifos" (Sobre esta Pedra, por G. K. Chesterton)

  • “SOLA SCRIPTURA"?

    ( para melhor entendimento do texto segue ao final a Lista de livros apócrifos só no NT)

    "Foi unicamente a Igreja Católica Romana que salvou as verdades protestantes. Pode ser bom basear-se na Bíblia, mas não haveria Bíblia se os gnósticos tivessem provado que o Antigo Testamento foi escrito pelo diabo ou tivessem inundado o mundo com os [seus] evangelhos apócrifos" (Sobre esta Pedra, por G. K. Chesterton).
  • A História nos conta que esses evangelhos gnósticos falsos causaram tanta confusão na Igreja Primitiva que o Cristianismo (=a Igreja Católica) foi forçado a padronizar o cânon do Novo Testamento:
    - "O desenvolvimento da doutrina cristã foi em grande parte uma reação contra o gnosticismo. A formulação dos símbolos de fé, a canonização das Escrituras do Novo Testamento e a ênfase na autoridade episcopal tornaram-se necessárias em razão das afirmações gnósticas" (©1999-2000, Britannica.com).
  • Como poderiam praticar a "Sola Scriptura"? [A definição do cânon] só se deu quando Santo Atanásio, "doutor da Igreja Católica e patriarca da Alexandria" (cf. ©1958, The Columbia Encyclopedia, pág. 114), escreveu sua Carta Pascal para as igrejas e monastérios da sua diocese, identificando os livros que eles deveriam incluir no seu Novo Testamento. Foi assim que o cânon do Novo Testamento de Santo Atanásio foi depois aceito pela Igreja de Roma e ratificado pelos líderes das igrejas de Hipona Régia (em 393) e de Cartago (em 397), sendo que Cartago reafirmou formalmente a aceitação desse cânon em 419.
  • A "Sola Scriptura" é impossível [de ser aceita] pelo simples fato de não existir em nenhum ponto da Bíblia uma lista de quantos ou quais livros pertencem ao seu cânon. Basta apontar isso a um cristão do século IV e ele certamente concordaria neste ponto. Por exemplo, Santo Agostinho (397 d.C.), bispo de Hipona, declarou: "Eu não creria no Evangelho se a autoridade da Igreja Católica não me movesse nesse sentido" (Contra Epist. Fundam. 1,6). Santo Agostinho disse isso por uma boa razão: circulavam muitos "evangelhos", "cartas", "atos", "apocalipses", etc. apócrifos. Havia muita confusão a respeito de quais livros eram canônicos ou até mesmo escritos por autores cujos nomes eram-lhes atribuídos. O cânon do Novo Testamento foi estabelecido pelo consenso e pelas autoridades da Igreja Católica Romana.

  • A "Sola Scriptura" não poderia ter sido pregada ou aceita pela Igreja Primitiva pelo simples fato de até meados do séc. IV a Bíblia, tal como a conhecemos hoje, NÃO EXISTIR. O intervalo de tempo entre a Ressurreição [de Jesus] e a definição do cânon do Novo Testamento em 382 d.C.
  • O QUE VEIO PRIMEIRO: O LIVRO OU A IGREJA?

    A Igreja Católica começou a existir antes que uma só linha do Novo Testamento fosse escrita. Os Apóstolos pregaram sobre Cristo e sua crucificação; São Pedro converteu 3.000 judeus; o Concílio de Jerusalém se reuniu; e a lei judaica foi abrogada antes mesmo que uma só linha do Novo Testamento tivesse sido escrita. Antes de São João escrever o seu Evangelho, a Igreja Católica já celebrava o seu Jubileu de Ouro e São Paulo podia dizer que a fé de Cristo já tinha sido "proclamada por todo o mundo (então conhecido)" (cf. Romanos 1,8).
  • Como a Igreja primitiva evangelizou e conquistou o Império Romano, sobrevivendo e prosperando por quase 350 anos, sem saber ao certo quais livros pertenciam ao cânon das Escrituras?

    A "Sola Scriptura" não poderia ter sido pregada ou aceita pela Igreja Primitiva pelo simples fato de até meados do séc. IV a Bíblia, tal como a conhecemos hoje, NÃO EXISTIR. O intervalo de tempo entre a Ressurreição [de Jesus] e a definição do cânon do Novo Testamento em 382 d.C.
  • É claro que os Apóstolos não dependiam de uma Bíblia cristã para instruir na religião e na moral, já que ela simplesmente não existia. Na verdade, apenas um dos Doze possivelmente pôde ter visto todos os escritos que vieram a formar o Novo Testamento: São João. E os outros Onze já tinham partido para a vida eterna quando São João escreveu o seu Evangelho

    Se os significados na Bíblia são tão claros, tão facilmente interpretados, e se o Espírito Santo conduz cada cristão na interpretação correta, como explicar que, de acordo com o "The Christian Sourcebook" (1986, pág. 326), existiam "21.000 denominações em 1986, com a criação de 270 novas denominações a cada ano"?

  • As vantagens da doutrina católica são duas:
    1ª) A inspiração é realmente provada e não apenas "sentida".
    2ª) O principal fato por trás da prova - o fato de que há uma Igreja mestre e infalível - permite que qualquer um naturalmente responda ao problema proposto pelo eunuco etíope (Atos 8,31): como saber qual interpretação é a correta?
    A mesma Igreja que autentica a Bíblia, que estabelece a sua inspiração, é também a autoridade encarregada por Cristo para interpretar a sua Palavra.

  • "Assim, pois, irmãos, FICAI FIRMES e CONSERVAI as TRADIÇÕES que de nós aprendestes, seja por PALAVRAS, seja por carta nossa" (2Tessalonicenses 2,15).
    - "Eu vos felicito, irmãos, porque em tudo vos lembrais de mim, e guardais as minhas INSTRUÇÕES (=o texto grego diz: guardais as minhas TRADIÇÕES), tais como eu vo-las transmiti" (1Coríntios 11,2).
    - "O que de mim OUVISTE em presença de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis que, por sua vez, sejam capazes de INSTRUIR a outros" (2Timóteo 2,2).
    - Por Ele sereis salvos, se o conservardes na MEMÓRIA como vo-lo PREGUEI (=ensino oral, não escrito). De outra forma, em vão teríeis abraçado a fé" (1Coríntios 15,2).

  • JESUS CRISTO E OS APÓSTOLOS JAMAIS FORAM ADEPTOS A SOLA SCRIPTURA
    “Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo.”(Mateus capítulo 5 verso 43, Bíblia versão Ave Maria)
    Amar teu próximo tudo bem estava escrito no Antigo Testamento (Levítico 19-18); e essa de (poderá odiar seus inimigos), onde estava escrito mesmo? Em nenhum lugar; por isso Nosso Senhor diz (ouvistes o que fora DITO). Sendo assim, Nosso Senhor Jesus Cristo jamais foi adepto dessa desgraça chamada SOLA SCRIPTURA
    “E veio habitar na cidade de Nazaré para que se cumprisse o que foi dito pelos profetas:Será chamado Nazareno.” (Mateus capítulo 2 verso 23, Bíblia versão Ave Maria)
  • No Evangelho segundo Mateus foi citado uma profecia (DITA PELOS PROFETAS), “Ele será chamado nazareno”; o mais estranho é que não há nenhum livro do (AT) seja ele canônico ou apócrifo transmitindo tal profecia.
    Bem, para Jesus Cristo e São Mateus a SOLA não era tão SOLA assim, eles também seguiam o as tradições orais.
    Em tudo vos tenho mostrado que assim, trabalhando, convém acudir os fracos e lembrar-se das palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: É maior felicidade dar que receber!” (Atos dos Apóstolos capítulo 20 verso 35, Bíblia versão Ave Maria)
  • Nesse capítulo do livro de Atos, podemos perceber São Lucas citando uma pregação de São Paulo segundo um ensinamento de Jesus Cristo (È maior felicidade dar que receber),lembrando que São Lucas já era de uma terceira geração de discípulos e seu Evangelho foi concluído em cima da tradição oral, mesmo assim, ele cita um ensinamento de Jesus que não consta em nenhum dos Evangelhos Canônicos, nem em seu próprio Evangelho, estranho, pois SOLA SCRIPTURA é SOLA SCRIPTURA não tem espaço para nada que não tenha sido escrito e segundo os protestantes, pregar outro Evangelho seria anátema! Será que São Lucas era anátema? Lógico que não; para se entender devemos prestar a atenção no que São Lucas cita diz: (lembre-se das palavras do Senhor Jesus), para quem estuda sabe que essas palavras de Jesus saíram de uma fonte chamada (conjunto de palavra de Jesus) transmitida pelos Apóstolos e usados pelos autores dos Evangelhos. Ou seja, tradição oral.
  • “Ora, quando o arcanjo Miguel discutia com o demônio e lhe disputava o corpo de Moisés, não ousou fulminar contra ele uma sentença de execração, mas disse somente: Que o próprio Senhor te repreenda!” (Judas capítulo 1 verso 9, Bíblia versão Ave Maria)
    Já imaginaram se tivesse algum protestante no meio dos Cristãos no momento que São Judas pregava esse fato sobre o corpo de Moises? Na hora esse protestante levantaria com sua Bíblia (que não existia na época) e começaria a questionar São Judas perguntando:
    ONDE ESTÁ na Bíblia (AT) que o corpo de Moises foi disputado pelo Anjo e o demônio?

    CLAUDIO CAMPOS

“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou o coração humano, o que Deus tem preparado para aqueles que O amam.”

Hoje é Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017