II. A Evidente Primazia de Pedro

  • Mateus 10,2-4; Marcos 3,16-19; Lucas 6,13-16; João 21,2; Atos 1,13 – A primazia de Pedro começa desde a lista dos doze Apóstolos. Este é um dos muitos exemplos onde Pedro é colocado como o primeiro. Do mesmo modo, em todos os eventos importantes, ele é o porta-voz do colégio apostólico.
    Mt 10, 2-4 | Mc 3, 16-19 | Lc 6, 13-16 | Jo 21, 2 | At 1, 13 |
  • Mateus à Apocalipse – Pedro é mencionado 152 vezes, e mesmo combinando os outros Apóstolos juntos, não chegam a somar a quantidade de Pedro, ficando com apenas 130 citações. Pedro também é sempre listado como o primeiro, exceto em I Coríntios 3,22 e Gálatas 2,9 (que são exceções óbvias à regra). I Co 3, 22 | Gl 2,9 |
  • Mateus 8,14; Marcos 1,29; Lucas 4,38 – Foi na casa de Pedro que Jesus se estabeleceu durante Sua vida pública. Isso mostra que o Mestre quis ensinar mais a Pedro do que aos outros Apóstolos, ficando mais tempo com ele do que com qualquer outro discípulo. Mt 8, 14 | Mc 1, 29 | Lc 4, 38 |
  • Lucas 5,3 – Jesus ensina ao povo é da barca de Pedro, o que é uma metáfora para a Igreja Católica, de onde Ele continua a ensinar, e continuará até a consumação dos séculos, guiando Pedro e toda a Igreja. Lc 5, 3 |
  • Lucas 5,4-10 – Jesus indica Pedro como o líder da barca. Pedro é o capitão do navio – a Igreja –, liderando a pescaria de homens. Pedro é quem foi chamado pelo Divino Mestre para ser “pescador de homens”. Lc 5, 4-10 |
  • Mateus 14,28-29 – Somente Pedro teve a coragem de ir ao encontro de Jesus andando sobre as águas. Mt 14,28-29 |
  • Mateus 16,16; Marcos 8,29; João 6,69 – Pedro é o primeiro dentre os Apóstolos a confessar a divindade de Jesus, que Ele é o Cristo, o Filho de Deus vivo.
    Mt 16,16 | Mc 8,29 | Jo 6,69 |
  • Mateus 16,18 – Jesus diz edificar a Igreja apenas sobre Pedro, a rocha, mesmo que os outros Apóstolos, também sejam a fundação da Igreja. Mt 16,18 |
  • Mateus 16,19 – Somente Pedro recebeu as chaves, o que representa autoridade sobre toda a Igreja. E mais tarde, Jesus conferiu o mesmo poder – “ligar e desligar” – aos outros Apóstolos, dando-lhes também o direito de exercerem da mesma autoridade de Pedro, “ligando e desligando” (Mateus 18,17-18; João 20,21-23). Assim Jesus mostra que Pedro é o Seu mais eminente representante na terra e que os Apóstolos têm de estar em comunhão com ele para exercerem a autoridade "ligar e desligar". Mt 16,19 |
  • Mateus 17,1; Lucas 9,28-36 – Pedro é mencionado primeiro, seguido por Tiago e João, quando Jesus escolheu estes três para subirem a montanha e lá Se transfigurar diante deles. Somente Pedro falou com Jesus quando terminou a manifestação gloriosa de Jesus Cristo com Moisés e Elias, após o Eterno Pai ter ordenado ouvir a Jesus, ficando Tiago e João totalmente calados. Mt 17,1 | Lc 9, 28-36 |
  • Marcos 5,37 – Aqui, Pedro é novamente mencionado primeiro, quando Jesus escolheu somente ele, Tiago e João para entrarem com Jesus onde a menina morta estava. Mc 5,37 |
  • Marcos 14,33-38; Mateus 26,37-41 – Jesus escolheu somente Pedro, Tiago e João dentre os 12 Apóstolos para subir ao monte Getsêmani e acompanhá-Lo em Sua agonia aterradora. Pedro é novamente citado primeiro. E quando Jesus foi ter com os três Apóstolos, que estavam sonolentos, Ele se dirigiu somente a Pedro. Jesus está cobrando de Pedro, sobre suas ações, por causa de sua responsabilidade como o líder dos Apóstolos. Mc 14, 33-38 | Mt 26, 37-41 |
  • Mateus 18,21 – Estando os Apóstolos reunidos com Jesus, sempre é Pedro quem questiona o Mestre sobre os assuntos mais importantes, como neste caso, sobre a regra do perdão. Um dos vários exemplos da liderança de Pedro entre os Apóstolos. Jesus ensina a Pedro mais do que aos outros, e Pedro, por sua parte, deve confirmar o resto nos ensinamentos verdadeiros do Mestre.
    Mt 18,21 |
  • Mateus 19,27; Marcos 10,28; Lucas 18,28 – Aqui, Pedro se mostra como o porta-voz e líder dos Apóstolos, questionando Jesus sobre a recompensa que receberiam os que deixam tudo para segui-Lo. Podemos ver as várias ocasiões onde Pedro é quem fala ao Mestre, sempre sendo a voz de todos os outros Apóstolos: Mt 19,27 | Mc 10,28 | Lc 18,28 |
  • Marcos 11,21 – Foi Pedro, quem lembrou Jesus da figueira que Ele amaldiçoou dizendo que tinha ficado seca. Tirando de Jesus o grande exemplo do misterioso poder da fé e oração (22-24). Mc 11,21 | Mc 11, 22-24 |
  • Lucas 8,45 – Segundo o Evangelho de Lucas, Pedro é singularizado dentre os Apóstolos quando Jesus perguntou quem tinha tocado-O no meio da multidão. Lc 8,45 |
  • Lucas 12,41 – É Pedro quem questiona Jesus se a parábola que incentiva a vigilância era dirigida somente aos Apóstolos ou também a todos os outros discípulos. Questionar o Mestre é parte da formação de Pedro como o pastor chefe visível do rebanho na terra, enquanto Jesus está no Céu, até a Sua volta gloriosa. Lc 12,41 |
  • João 6,68 – Depois de muitos discípulos terem ido embora – para não mais seguir Jesus – por não terem aceitado a verdade do discurso “muito duro” de Jesus sobre a Eucaristia ser Seu Corpo e Seu Sangue, Jesus se dirigiu aos Apóstolos perguntando-os se eles também deixariam de segui-Lo, e é Pedro, o príncipe e porta-voz de todos os Apóstolos e discípulos fieis – toda a Igreja –, quem se põe a frente e responde com firme fé: “Senhor, a quem iríamos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.”. Assim, Pedro está exercendo a sua obrigação, de confirmar a Igreja na doutrina santa de Jesus. Jo 6, 68 |
  • João 13,6-9 – Somente Pedro questionou a humilhação de Jesus sobre lavar os pés dos Apóstolos e os seus também. Novamente, sempre Pedro questionando o Mestre e aprendendo os mistérios do reino.
    Jo 13, 6-9 |
  • Marcos 16,7 – Após a ressurreição de Jesus, Pedro é destacado por um Anjo como o líder dos Apóstolos. O Anjo manda Maria Madalena ir avisar aos discípulos de Jesus, principalmente Pedro. Mc 16,7 |
  • João 20,2 – Maria Madalena correu para avisar a Pedro, antes dos outros Apóstolos, e João estando com ele, também soube do acontecido. Jo 20,2 |
  • João 20,3-8; Lucas 24:12 – Assim dispararam a correr em direção do sepulcro do Mestre. E como João era mais jovem, era também mais veloz, chegou primeiro ao sepulcro. E como sabia perfeitamente que Pedro era o líder da Igreja, respeitou a sua preferência em entrar primeiro no sepulcro, esperando-o chegar e entrar após ele. Jo 20, 3-8 | Lc 24, 12 |
  • Lucas 8,51; 9,28; 22,8; Atos 1,13; 3,1.3.11; 4,13.19; 8,14 – Pedro é sempre mencionado antes de João, o discípulo a quem Jesus amava. Lc 8, 51 | Lc 9, 28 | Lc 22, 8 | At 3,1.3.11 | At 4,13.19 | At 8,14 |
  • Lucas 24,33-34; I Coríntios 15,4-5 – Pedro é reconhecido como o primeiro dentre os Apóstolos a ver o Senhor Jesus ressuscitado, mesmo que essa aparição tenha sido demasiada misteriosa e não tenha sido relatada na Bíblia. Jesus “Apareceu a Kepha, e em seguida aos doze.”. Lc 24, 33-34 | ICo 15, 4-5 |
  • João 21,1-3 – Aqui, novamente Pedro é mencionado primeiro no verso 2. E nessa hora, quando Jesus não estava junto deles, Pedro disse aos outros Apóstolos que estavam reunidos com ele, que iria pesca, e os outros quiseram ir com ele. Isso mostra mais uma vez a liderança de Pedro na pesca e a comunhão que deve haver entre os Apóstolos e o seu Príncipe (Pedro), estando todos a pescar e a navegar na barca de Pedro – metáfora para Igreja Católica. Jo 21, 1-3 |
  • João 21,4-8 – Com a manifestação de Jesus aos Apóstolos que estavam pescando, João – o discípulo que Jesus amava – reconheceu primeiro que era Jesus quem falava da praia, e disse o mais rápido possível a Pedro. Novamente, João mostra seu respeito para com o líder da Igreja. E certamente, Pedro não viu que era o Senhor primeiro, por estar ocupado com as redes cheias de peixes. Quando Pedro ouviu de João que era o Senhor, lançou-se ao mar e disparou ao encontro de Jesus. Somente ele foi ao encontro de Jesus antecipadamente. Jo 21, 4-8 |
  • João 21,9-11 – E assim como em todos os quatro Evangelhos, no final da pesca, é evidenciada novamente a primazia de Pedro e sua liderança na pesca. Jesus pede aos discípulos, “Trazei aqui alguns dos peixes que agora apanhastes!”, e Pedro lidera o final da pesca, puxando ele mesmo a rede cheia de cento e cinqüenta e três peixes grandes. Jo 21, 9-11 |
  • João 21,15-17 – Jesus conhecia o amor que Pedro tinha por Ele. Por isso pergunta-o se O ama mais do que os outros Apóstolos, e isso por três vezes, na frente destes mesmos Apóstolos. Em réplica à reposta afirmativa de Pedro, Jesus indica-o como o Seu maior representante na terra. Sabendo Jesus que tinha apenas um pouco mais de tempo até voltar ao Eterno Pai, mais uma vez Ele manda Pedro cuidar de toda a Sua Igreja, apascentar todo o seu rebanho, cordeiros e ovelhas, apóstolos e discípulos, bispos, sacerdotes e leigos: “Apascenta os meus cordeiros”, “Apascenta as minhas ovelhas”, “Apascenta as minhas ovelhas”. Que sublime ordenança do Senhor! Na presença dos próprios Apóstolos, Jesus ordena a Pedro a ser o supremo pastor e cabeça visível da Igreja na terra, enquanto Ele está nos céus, até a sua segunda vinda, para julgar o mundo. Pedro é a cabeça visível da Igreja, ocupando o cargo de Jesus como supremo pastor. Jo 21, 15-17 |
  • CIC, §552 – No colégio dos Doze, Simão Pedro ocupa o primeiro lugar. Jesus confiou-lhe uma missão única. Graças a uma revelação vinda do Pai, Pedro havia confessado: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" (Mt 16,16). Nosso Senhor lhe declara na ocasião: "Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja, e as Portas do Inferno nunca prevalecerão contra ela" (Mt 16,18). Cristo, "Pedra viva"; garante a sua Igreja construída sobre Pedro a vitória sobre as potências de morte. Pedro, em razão da fé por ele confessada, permanecerá como a rocha inabalável da Igreja. Terá por missão defender esta fé de todo desfalecimento e confirmar nela seus irmãos
  • João 13,36; 21,18-19 – Jesus indica a Pedro o modo que haveria de morrer e glorificar a Deus por seu martírio. Pedro foi condenado à morte de cruz, assim como Jesus, mas pediu aos carrascos para o crucificarem de cabeça virada para baixo, por não se achar digno de morrer como o Divino Mestre. Isto aconteceu em Roma no ano 67. Assim foi o fim glorioso do primeiro Papa da Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana. E sucessivamente, as primeiras duas dezenas e meia dos seus sucessores, foram também martirizadas.
  • Atos 1,13-14 – Pedro é mencionado primeiro dentre os Apóstolos após a Ascensão de Jesus aos céus. Pedro lidera o grupo em unânime perseverança na oração.
  • Atos 1,15-17.21-26 – Pedro, como o líder, levanta-se entre os Apóstolos para propor a eleição de um novo Apóstolo para ocupar o lugar de Judas Iscariótes. É claro que Jesus não escolheu o novo Apóstolo enquanto estava com eles após a ressurreição para deixar que a Sua Igreja o fizesse, com a autoridade que recebera Dele mesmo. Ainda mais, se a Igreja precisou de um sucessor para Judas, não precisaria de um para Pedro?
  • Atos 2,14 – Após a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos no Pentecostes, Pedro – novamente como o mais eminente Vigário de Cristo –, atua como o líder dos Apóstolos, pondo-se à frente deles e pregando ao povo que se aglomerava e admirava a manifestação do Espírito Santo. Pedro é o primeiro a pregar o Evangelho ao povo após a Paixão, Ascensão e Pentecostes.
  • Atos 2,15-21 – Na pregação, Pedro interpreta o acontecimento divino como sendo o cumprimento das Sagradas Profecias do Profeta Joel, que foi predito no Antigo Testamento (Joel 3).

  • Atos 2,24-35 – Continuando o divino discurso, Pedro interpreta a predição que Davi fez em dois Salmos, como sendo relacionadas à Ressurreição de Jesus Cristo dos mortos.
  • Atos 2,36 – Ao fim, Pedro declara a toda a casa de Israel que Jesus é Senhor e Cristo. Se Pedro ensinou e interpretou as Sagradas Escrituras infalivelmente, por que não o fariam os seus sucessores?
  • Atos 2,37-38 – O povo que foi movido no coração pelo Espírito Santo com a pregação infalível de Pedro, o reconheceu como o chefe dos Apóstolos. O autor do livro “Atos dos Apóstolos” – Lucas – também continua a indicar Pedro como o líder da Igreja.
  • Atos 2,38 – Pedro ensina que para remissão dos pecados é necessário o batismo, e assim é recebido o dom do Espírito Santo. Se Pedro ensinou infalivelmente sobre a necessidade do batismo para a salvação e receber o dom do Espírito Santo (sendo isso relatado na Bíblia), porque os protestantes não aceitam esta mesma doutrina santa ensinada por dois mil anos pela Igreja Católica?
  • Atos 3,1-7 – Pedro é mencionado primeiro – antes de João – por três vezes. Pedro é o primeiro dentre os Apóstolos a operar um milagre de cura após Pentecostes.
  • Atos 3,12-16; 4,9-10 – Pedro se põe a frente de João para proclamar a cura milagrosa em Nome de Jesus.
  • Atos 3,17-18 – Pedro discerniu que os homens de Israel entregaram Jesus à morte por ignorância, cumprindo assim o que Deus tinha anunciado pelos Profetas, de que o Cristo devia padecer.

  • Atos 3,21-26 – Pedro novamente interpreta infalivelmente as Sagradas Escrituras.
  • Atos 4,7-8 – Pedro é o que se põe à frente novamente, cheio do Espírito Santo, para responder aos “chefes do povo”. Agora, Pedro é o “chefe do povo” da Nova e Eterna Aliança, juntamente com os bispos em comunhão com ele, assistidos pelos presbíteros.
  • Atos 4,11-12 – Pedro interpreta as Escrituras que dizem sobre a Pedra angular ter sido rejeitada pelos edificadores, declarando que essa Pedra Angular é Cristo Jesus; e frente aos judeus, (Pedro é primeiro que) ensinou que não há salvação em nenhum outro.
  • Atos 4,19-20 – Novamente, Pedro é mencionado antes de João, para responder aos chefes do povo que estavam ordenando-os que não mais se pregasse o Evangelho em Nome de Jesus.
  • Atos 5,3-11 – Pedro declara o primeiro anátema da Igreja, em Ananias e sua mulher Safira, sendo confirmado por Deus, que os entregou à morte instantânea. Pedro exerce sua autoridade “ligar e desligar”.
  • Atos 5,15 – Deus também confirma que Sua vontade é que Pedro deve ser o líder, curando os enfermos até mesmo por sua sombra.

  • Atos 5,29 – Com a segunda prisão dos Apóstolos, Pedro é colocado à frente dos outros para ser o porta-vos de todos diante do Grande Conselho.
  • Atos 8,14-17 – Pedro é mencionado antes de João ao irem conferir o sacramento da Confirmação aos cristãos de Samaria.
  • Atos 9,36-40 – Pedro é o primeiro Apóstolo a ressuscitar uma pessoa dos mortos.

  • Atos 10,4-6 – O Anjo do Senhor mandou Cornélio chamar a Pedro, para conhecer o Evangelho, e a nenhum outro Apóstolo.
  • Atos 10,19-23 – Enquanto meditava sobre a visão que teve, Pedro é avisado pelo Espírito Santo para ir com os homens que o procuravam. Esses homens não são judeus, e por isso o Espírito teve de mandar Pedro ir com eles sem hesitar, pois, os Apóstolos ainda não sabiam que a mensagem da salvação era para os gentios também, e a tradição antiga mandava não misturar-se com os gentios.
  • Atos 10,34-48 – Pedro é quem recebeu a divina revelação sobre a salvação também ser concedida aos gentios. E é Pedro mesmo o primeiro a pregar o Evangelho da salvação aos gentios.
  • Atos 11,2-3 – Os judeus convertidos, que ainda não sabiam que a salvação era também para os gentios, repreenderam Pedro por ter entrado na casa de incircuncisos. Isso mostra que os fieis reconheciam a autoridade máxima de Pedro e que ele devia dar o mais excelente exemplo.

  • Atos 11,18 – Esses cristãos da circuncisão, que tinham repreendido Pedro, depois de terem ouvido a sua explicação do acontecido, acataram com alegria a revelação que Deus fez à Igreja por meio de Pedro: que a mensagem da salvação era dada também aos pagãos.
  • Atos 12,5 – Esse verso mostra com que amor e fervor toda a Igreja, desde o início, reza sem cessar por Pedro, o Papa.
  • Atos 15,7-12 – Pedro resolve o primeiro assunto doutrinal no primeiro Concílio da Igreja, em Jerusalém, sobre a circuncisão, e ninguém o questionou, até mesmo os muitos judeus, que eram a favor da circuncisão, não abriram a boca para discutirem mais.
  • Atos 15,12 – Só depois que Pedro (o Papa) acabou de falar, é que Paulo e Barnabé (também bispos) começaram a falar sem temor. Este verso mostra a autoridade de Pedro sobre todos os outros bispos, porque ninguém mais ousou discutir o assunto novamente.
  • Atos 15,13-21 – Em seguida, Tiago fala para ainda mais reconhecer o decreto definitivo de Pedro, e sugerir que pelo menos se escrevesse uma carta aos gentios para se absterem das carnes oferecidas aos ídolos, o que todos concordaram.
  • I Coríntios 9,5 – Paulo destaca o nome de Pedro do resto dos Apóstolos. Aqui Paulo escreve o nome de Pedro em aramaico “Kepha”, o que literalmente significa rocha.
  • Gálatas 1,18 – No terceiro ano de seu apostolado, Paulo subiu a Jerusalém especialmente para conhecer Pedro (Kepha), o líder da Igreja, e ficou com ele quinze dias.

  • Gálatas 2,7-8 – Paulo destaca Pedro como o chefe dos doze Apóstolos.
  • Gálatas 2,9 – “Tiago e “Kepha” e João, que são considerados as colunas,” Paulo escreve o nome de Pedro (Kepha) entre os nomes de Tiago e João, mostrando que ele (Pedro) é a rocha central e principal coluna da Igreja.
  • I Pedro 5,13 – Alguns protestantes discutem contra o Papado tentando provar que Pedro nunca esteve em Roma. Primeiro, este argumento é irrelevante, porque a instituição do Papado por Jesus não depende disso. Segundo, este verso demonstra que, de fato, Pedro esteve em Roma. Pedro escreve “A igreja escolhida de ‘Babilônia’ saúda-vos,” o que prova que ele estava em Roma quando escreveu esta Epístola. Babilônia era um codinome para Roma. Roma era a “Grande Cidade”, a “Babilônia” daquele período. Por Roma ser considerada o centro do mundo naquele tempo, o Senhor quis que a cátedra de Sua Igreja fosse estabelecida lá, porque assim como Ele venceu o mundo, quis que Sua Igreja também vencesse (João 16,33). A Igreja Católica, com o sangue de milhares de seus santos mártires, incluindo mais de 20 Papas, venceu o império romano, a Grande Babilônia que deveria cair (Apocalipse 18,10.19). Os protestantes têm que passar por cima do orgulho e reconhecer essa verdade histórica e parar de inventas mentiras.
  • II Pedro 1,13-15 – Pedro diz ter a obrigação de exortar a Igreja e mantê-la vigilante (verso 13). Enquanto que nos versos 14 e 15, ele diz que em breve teria de deixar o seu “tabernáculo” (ele está se referindo à sua função como o supremo pastor da Igreja), e que providenciaria um seu sucessor para continuar a exortar e pastorear a Igreja depois de sua morte.
  • II Pedro 3,16 – Pedro está fazendo um julgamento sobre “interpretação própria” das cartas de Paulo e das demais Escrituras, nas quais contém “passagens difíceis de entender”. Pedro é o pastor chefe da Igreja e não admite interpretações pessoais com deturpações das Sagradas Escrituras, contrárias aos sentidos reais que as Sagradas Letras apresentam e que o Magistério da Igreja interpreta.
  • Mateus 20,27; 23,11 – E Pedro, o Papa, é servo dos servos de Deus.

“O orgulho é a fonte de todas as fraquezas, por que é a fonte de todos os vícios.
Santo Agostinho”

Hoje é Terça-Feira, 26 de Setembro de 2017