II: As Chaves de Pedro e Sucessão Papal

  • I Samuel 10,1; 16,12-14; 5,1-3; II Samuel 7,8 – Vemos aqui que o profeta do Senhor, Samuel, ungiu Saul rei de Israel, “chefe” da herança do Senhor. Saul não agradou o Senhor, desobedeceu ao profeta Samuel e por isso o Senhor mandou Samuel ungir Davi para ser o futuro rei de Israel, sucedendo a Saul. Todos os anciãos de Israel sagraram Davi como o novo rei/chefe de Israel. Vemos uma verdadeira sucessão.
  • II Samuel 7,12-15; Salmo 89,3-4 [88,4-5]; I Crônicas 17,12-14 – Deus promete a Davi que lhe suscitaria um descendente para ser seu sucessor e que Ele mesmo (Deus) firmaria o seu reino para sempre. Esse descendente/sucessor de Davi construiria um templo para o Senhor, e o Senhor promete que não lhe tiraria a Sua graça, como o fez a Saul, mesmo se ele cometesse alguma falta.
  • I Reis 1,38-39.45-48 – Vemos que Salomão, filho de Davi, foi consagrado sucessor de seu pai, conforme o Senhor tinha prometido. “Salomão sentou-se no trono de Davi, seu pai, e seu reino foi solidamente estabelecido.” Conforme a promessa do Senhor Deus a Davi.
  • I Reis 6,1; 8,20; 6,11-13; 9,4-9 – Salomão construiu um templo para o Senhor, conforme o Senhor tinha dito a Davi. O Senhor disse a Salomão que cumpriria nele (Salomão) a promessa que tinha feito a Davi, de que não faltaria jamais um descente para Davi e que seu trono se firmaria para sempre, se ele (Salomão) colocasse em prática as suas ordens, obedecendo, praticando e observando os Seus mandamentos, leis e preceitos. / I Reis 11 – Mas Salomão se desviou das ordens do Senhor, com isso o Senhor já estava livre de cumprir as Suas promessas na pessoa de Salomão e assim por diante com os seus sucessores, pois Salomão não seguiu os mandamentos e preceitos do Senhor. Por tanto, daqui para frente já não há um descendente de Davi, como seu sucessor, sentando em seu trono e governando sobre todo o Israel, ficando o reino dividido (11,31).
  • I Reis 11,39; Amós 9,11; Lucas 1,32; Atos 15,14-18 – Mas Deus disse que não humilharia para sempre a descendência de Davi; e também disse pelo profeta Amós que reedificaria “o tabernáculo de Davi”. Ora, os Apóstolos compreenderam claramente que isso se cumpriu em Jesus, descendente de Davi. A partir de agora, todas as promessas e predições que o Senhor fez a Davi, se cumpririam em Jesus Cristo.
  • Isaias 22,15-23 – No antigo reino de Davi, Eliacim sucedeu Sobna como o administrador chefe do palácio de Salomão (II Reis 18,18.37; 19,2) para governar na casa de Deus. No reino deve ser empregado um mecanismo de sucessão soberana para que subsista o cargo de “prefeito do palácio”. Assim como Deus “reedificou o tabernáculo de Davi”, colocando Jesus em seu trono; Jesus também “reedificou o tabernáculo” de “prefeito do palácio”, apontando Pedro para esse cargo.
  • Isaias 22,15-19 – Sobna é descrito como tendo um “ofício”, um “posto”. Para este ofício continuar sendo um ofício, tem que ter sucessores. Para que um reino dure, é necessário um sucessor representativo. Esse foi o caso do Reino da Antiga Aliança, e esse é o caso no Reino da Nova Aliança que cumpri a Antiga Aliança. Jesus Nosso Reino está no Céu, mas Ele apontou um chefe sobre o governo de Sua casa com um plano para uma sucessão de representantes.
  • Isaías 22,16 – Olhando essa profecia em segundo plano, assim como o vimos acima as profecias que se referia a Davi, seu reino e sua descendência, tudo se cumprindo em Jesus, devemos ver Jesus no lugar de Sobna, e no lugar de Eliacim, devemos ver Pedro. Neste verso vemos Deus se dirigindo a Sobna (Jesus), e Ele diz: “Vai ter com esse ministro...” “que talha para si uma morada na rocha”. Incrível, não? Assim como nas profecias e predições que Deus fez a Davi, que se cumprem em Cristo; devemos ver também nessa profecia, uma alegoria indicando Pedro, a “rocha” na qual Jesus edifica a Igreja.
  • Isaías 22,15-19 – Nestes versos devemos ver a fúria da justiça divina descendo sobre Jesus na Paixão. Jesus é “Aquele que não conheceu o pecado, [mas] Deus O fez pecado por nós” (II Coríntios 5,21). Nos versos 19 e 20, Deus diz que depô-lo-ia (a Jesus) de Seu cargo, arrancando-O de seu assento e colocar Eliacim (Pedro).
  • Isaías 22,21 – Pedro seria colocado no “posto de Jesus”, como pastor chefe de todo o rebanho. Pedro e seus sucessores são revestidos com a autoridade de Cristo. O Papa é o “Vigário de Cristo”.
  • Ezequiel 34,23; 37,24 – Davi, ou seja, Jesus, deverá ser o único pastor para o único rebanho. Mas Jesus subiu aos céus e, antes disto, teve de apontar um homem que seria Seu sucessor representativo, governando sobre o Seu reino na terra, sendo o pastor visível do rebanho (João 10,16; João 21,15-17).
  • C.CIC, §182 – «Qual é a missão do papa? – O papa, bispo de Roma e sucessor de São Pedro, é o perpétuo e visível princípio e fundamento da unidade da Igreja. É o vigário de Cristo, chefe do Colégio dos bispos e pastor de toda a Igreja, sobre a qual tem, por divina instituição, poder pleno, supremo, imediato e universal.»
  • Jeremias 33,17 – Jeremias profetizou que jamais faltará um sucessor a Davi para ocupar o trono da Casa de Israel. Ou essa profecia se cumpre na Igreja Católica com a sucessão papal – Pedro e seus sucessores; ou essa profecia é falsa e não há um sucessor representativo para Davi (Jesus) por toda a história.
  • Daniel 2,44 – Daniel profetizou que o reino do Messias (Jesus) nunca será destruído. Ou isso é uma falsa profecia, ou esse reino requer sucessão para que não seja dividido e nem tenha fim (Lucas 1,33) como aconteceu após o reinado de Salomão no Antigo Testamento.
  • Isaias 22,21 – Eliacim (Pedro) seria um “pai” (“Papa”) para o povo de Deus. A palavra Papa é usada pelos católicos para descrever o chefe governante do reino de Cristo. A palavra italiana “Papa” significa “Pai”. Por isso os católicos chamam o líder da Igreja “Papa”. O Papa é o pai do povo de Deus, o chefe governante do reino e o representante de Cristo na terra.
  • Isaias 22,22 – Vemos que as chaves do reino passam de Sobna (Jesus) para Eliacim (Pedro). Assim, as chaves são usadas não somente como um símbolo de autoridade sobre o reino, mas também para facilitar a sucessão. As chaves do Reino de Cristo passaram de Pedro para Lino (primeiro sucessor de Pedro), e assim por diante até ao nosso atual Papa, com uma autêntica sucessão por quase 2.000 anos. O papa tem autoridade sobre o reino: “dele estão pendentes todos os membros... os ramos principais e os ramos menores, toda espécie de vasos, desde os copos até os jarros.” (22,24).

  • Atos 1,20 – Vemos no início da Igreja que sucessores são imediatamente escolhidos para o ofício de apóstolos. Assim como a Igreja ungiu um sucessor para Judas, também o fez quando precisou de um sucessor para Pedro, após sua morte, e assim continua fazendo, após a morte do Papa.
  • João 21,15-17; Lucas 22,31-32 – A criação do ofício de Pedro – por Jesus – como pastor chefe com as chaves, passou para Lino, Anacleto, Clemente I, todo o caminho até o nosso atual Santo Padre. Jesus não constituiria Pedro como Seu representante para depois não haver uma sucessão após a morte dele.
  • Mateus 23,2 – Isto mostra que os judeus compreenderam a importância da sucessão para a cadeira e sua autoridade. Aqui, Jesus respeita o assento (“cathedra”) de autoridade, que foi preservado pela sucessão. Na Igreja, o assento de Pedro é chamado “cathedra”, e quando o sucessor de Pedro fala oficialmente de um assunto de Fé ou Moral, isso pode elevar ao nível de um magistério “ex cathedra” (da cadeira), o que significa que o ensinamento é, pela graça do Espírito Santo, infalível.

  • Efésios 3,21 – A Palavra Divina conta-nos que a Igreja de Jesus Cristo existirá em todas as gerações. Somente a Igreja Católica pode provar, pela sucessão, tal existência. Nossos irmãos e irmãs protestantes ficam inconfortáveis com essa passagem, porque isso necessita que eles olhem para uma Igreja que existiu por 2.000 anos. Isso significa que todas as outras denominações cristãs (algumas das quais estão por aí por até menos de um ano!) não podem ser a Igreja que Cristo edificou sobre a rocha de Pedro.

“O orgulho é a fonte de todas as fraquezas, por que é a fonte de todos os vícios.
Santo Agostinho”

Hoje é Terça-Feira, 26 de Setembro de 2017